Novo uso para a inteligência artificial

Uma parceria entre a IBM e a Symrise, uma produtora global de fragrâncias e sabores baseados na Alemanha, desenvolveu o primeiro perfume usando a tecnologia de Inteligência Artificial. O produto (Egeo ON Me) foi lançado pela O Boticário em junho deste ano.

Existem 1.300 blocos de perfume (fragrâncias sintéticas e extratos de flores, musgos, especiarias e frutas) disponíveis para um perfumista. Usando um banco de dados de 1,7 milhão de fórmulas feitas a partir de várias combinações dessas substâncias e informações sobre quais fragrâncias vendiam bem entre diferentes gêneros, grupos etários e países, um algoritmo de aprendizagem profunda analisou os dados e o sistema de inteligência artificial (que é livre de viés cultural, preferência pessoal, conhecimento, experiência ou conforto com uma substância) encontrou possibilidades que não haviam sido exploradas anteriormente. A partir dos dados, são produzidas fórmulas de perfume que devem funcionar bem para um grupo alvo. Um perfumista entrou em cena para refinar as fórmulas geradas pela IA. É importante entender que o algoritmo de aprendizado profundo usado permite que ele saiba como vários ingredientes podem ser combinados e não está apenas agindo com base no que um ser humano o programou para fazer.

Fonte: Marr, Bernard. Artificial Intelligence Can Now Create Perfumes, Even Without A Sense Of Smell. https://www.linkedin.com/pulse/artificial-intelligence-can-now-create-perfumes-even-without-marr  Acesso em 6.08.19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Please leave these two fields as-is:

Protected by Invisible Defender. Showed 403 to 93.588 bad guys.