Preço, custo ou valor?

Montagem fotográfica de uma mão saindo da tela de um computador e entregando um cartão de crédito para outra, também saindo de uma tela, em troca de uma sacola.

Imagem por Mediamodifier em Pixabay 

Mesmo jornalistas confundem, mas são coisas diferentes.

Recentemente, lendo a introdução em um livro sobre arte deparei com a seguinte frase “Para redução dos custos de edição e do valor ao consumidor, este livro contém número reduzido de imagens”. Obviamente, o autor não queria desmerecer sua obra. Mas, como boa parte das pessoas, ele trata os termos preço, custo e valor como sinônimos, o que causa muita confusão. Vale entender as diferenças.

Custo – corresponde a quantidade de recursos, geralmente descrita em alguma unidade monetária, usada para obter um produto ou fornecer um serviço. Por exemplo, uma bola custa R$90,00; esse custo inclui o couro e o fio usados como matéria prima, a mão de obra para fazer as costuras e ainda a tinta para o acabamento.

Preço – corresponde àquilo que é pago pelo cliente. O preço deve cobrir o custo e ainda deixar uma margem de lucro. Então:

preço = custo + margem

Em nosso exemplo, o preço da bola poderia ser R$120,00, deixando uma margem de R$30,00 para o vendedor.

Mas e o valor? É difícil traduzir em valor monetário, pois o valor é subjetivo e depende muito da necessidade real ou emocional das pessoas. Essa é a razão pela qual uma garrafa de água mineral gelada pode ser vendida por diferentes preços no mercado e na praia. Pela situação e conveniência, o produto vale mais para o banhista do que para o comprador no mercado.

O conceito de valor, completamente desconectado do custo, é mais evidente nos produtos de luxo ou de marca. Algumas pessoas literalmente valorizam mais um produto raro ou de marca pela possibilidade de ostentar. Assim, quem oferece um produto deste tipo pode vender por um preço muito mais alto que o seu custo, pois para o comprador seu “valor” é ainda mais elevado.

A diferença, ainda que estimada, entre valor e preço é denominada de atratividade. Na verdade, o conceito é intuitivo e é comum ouvirmos: “Isso vale quanto custou”, referindo-se ao benefício de um produto comprado.

Preço é o que você paga. Valor é o que você recebe. – Warren Buffet.

Resumindo, o autor do livro citado no início estava preocupado em reduzir o custo da obra para que, mesmo com o necessário lucro, pudesse oferecer o produto por um preço baixo. Ou seja, um preço inferior ao valor da obra para os potenciais compradores, garantindo as vendas.

Daqui para a frente, não confunda custo com preço ou valor.

E, se percebeu valor neste texto, siga-me para ler meus posts semanais sobre o uso de indicadores na gestão.

“Se a linguagem não estiver correta, então o que é dito não é o que se quer dizer;  Se o que é dito não é o que se pretende,  Então, o que deveria ser feito permanece por fazer.”  — Confúcio

Post221215

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Please leave these two fields as-is:

Protected by Invisible Defender. Showed 403 to 187.332 bad guys.